Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Autárquicas/Lourinhã: PSD/Oeste explica desacerto com estrutura concelhia na escolha do candidato à CML

eleicoes autarquicas de 2021

A CPD - Comissão Política Distrital do PSD/Área Oeste, que escolheu como cabeça-de-lista à Câmara Municipal da Lourinhã o empresário social-democrata Orlando Carvalho, à revelia da Comissão Política da estrutura concelhia do partido - que levou à sua demissão em bloco -, alega que houve falta de diálogo entre os dois órgãos políticos.

O vice-presidente da CPD, João Paulo Reis, falando ao ALVORADA em nome do presidente Duarte Pacheco, destaca que “não conseguimos compreender a presidente da concelhia da Lourinhã - Mafalda de Taborda Lourenço - nas última duas reuniões da CPD, saiu a meio da última reunião e nem esteve presente nesta última votação” que escolheu Orlando Carvalho. “Não ficámos muito claros relativamente ao que a concelhia da Lourinhã pretendia”, alega o dirigente social-democrata.

O responsável da CDP corrobora os factos apresentados pelo dirigente social-democrata lourinhanense Hernâni Santos, que foi escolhido inicialmente para encabeçar a lista à CML, tendo sido “transmitido pela presidente Mafalda de Taborda Lourenço”. Posteriormente foi feita uma sondagem e o resultado foi considerado “bastante positivo” para o candidato. Contudo, a seguir, Hernâni Santos “reponderou a decisão e decidiu não avançar, por motivos pessoais e profissionais”, justifica João Paulo Reis. “Perante o pouco tempo que havia para tomar uma decisão, porque havia prazos do PSD para cumprir para a apresentação e homologação dos candidatos, a CPD tomou o tema em mãos, até porque tinha tentado reunir com a concelhia mas não o conseguiu apesar da nossa insistência”, adianta ainda o responsável. “Durante as reuniões que houve, a concelhia nunca foi muito clara depois da indicação do Hernâni Santos. A partir desse momento tentámos reunir com a concelhia para vermos a solução e dar o passo seguinte mas não o conseguimos”, garante, pelo que rejeita que o nome do candidato Pedro Antunes, que liderou há quatro anos a lista do CDS como independente, tenha sido votado. “Houve vários nomes na mesa, mas não passou disso”, garantiu.

Posto isto, a CPD resolveu escolher como candidato Orlando Carvalho, que foi vice-presidente da concelhia aquando da candidatura de João Manuel Delgado à Câmara Municipal da Lourinhã. “É um militante que esteve retirado durante alguns anos e, de algum tempo para cá, mostrou algum interesse e apresentou algumas ideias para o desenvolvimento do concelho”, adianta João Paulo Reis. O candidato acabaria por ver o seu nome indicado e homologado pela Comissão Política Nacional, tendo o anúncio ocorrido esta quarta-feira pelo secretário-geral José Silvano. “É uma candidatura que, a nosso ver, agrega muita gente na lista que está a ser formada. É tudo muito recente, mas contará com pessoas que ao longo dos anos tem estado com o PSD da Lourinhã. Julgamos que vai ter um impacto muito positivo, até pela forma como as coisas foram apresentadas pelo candidato. Estamos bastante optimistas em conseguir um bom resultado, no sentido de defender os interesses da Lourinhã através do partido que nós fazemos parte”, acredita o vice-presidente da CPD.

Certo é que, após a demissão em bloco da Comissão Política do PSD/Lourinhã, o processo eleitoral autárquico vai ser conduzido directamente pelo PSD/Oeste. Quanto a uma coligação com o CDS, que já estaria firmada entre Mafalda Taborda de Lourenço e a líder centrista Paula Marinho, João Paulo Reis não dá essa garantia. “Neste momento é prematuro estar a responder a essa pergunta, mas nos próximos dias haverá certamente desenvolvimentos nesse sentido”, referiu ao ALVORADA.

Já sobre a Assembleia de Militantes do PSD/Lourinhã, agendada para esta noite para debater este mais que conturbado processo autárquico, João Paulo Reis considera que se trata de “um assunto extra distrital”. A sessão, agendada para as 21h00, vai decorrer por videoconferência devido à pandemia. “Temos condições para fazer um óptimo trabalho nestes meses, para depois os eleitores poderem decidir pelo melhor com uma alterativa ao que tem sido feito durante todos estes anos pela gestão socialista”, conclui o vice-presidente da CPD do PSD/Oeste.

Recorde-se que Mafalda de Taborda Lourenço, presidente demissionária do PSD/Lourinhã, assegurou ao ALVORADA que, apesar de ter sido desautorizada pela estrutura distrital, “estarei sempre disponível para participar nas campanhas”. Quanto ao candidato escolhido para concorrer à CML, Orlando Carvalho, está convicta de que “liderará com qualidade, dinamismo e competência o processo”.

Texto: ALVORADA