Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Moita dos Ferreiros: GNR descobre idoso caído em casa após alerta de familiar

GNR

Um idoso, que vive sozinho na freguesia da Moita dos Ferreiros, foi encontrado caído na sua habitação pela GNR da Lourinhã, que foi ao local depois de ter recebido o alerta de um familiar, que não via sinais da sua presença desde a véspera. O familiar ainda tentou comunicar por telefone mas encontrava-se desligado e só depois alertou as autoridades, por temer pela saúde do idoso, segundo apurou o nosso jornal.

Após ter alertado a GNR, os militares foram à residência dar com o homem, de 76 anos, “prostrado no chão da casa de banho e consciente, mas com evidentes sinais de hipotermia e bastante debilitado, uma vez que, por ter caído”, esteve assim durante toda a noite. O caso ocorreu no passado domingo, adianta um comunicado do Comando Territorial de Lisboa da GNR enviado ao ALVORADA.

Foi depois accionada a assistência médica para o local, através dos Bombeiros Voluntários da Lourinhã, tendo o idoso sido transportado para o Hospital de Torres Vedras para acompanhamento do seu estado de saúde.

Contrariamente ao que foi inicialmente avançado pela GNR, o idoso nunca chegou a ser dado como desaparecido nem foram encetadas diligências policiais para o localizar, nomeadamente em toda a área envolvente e questionando os demais familiares e vizinhos.

A GNR, a propósito deste caso, informa que o desaparecimento de idosos é um fenómeno para o qual a GNR tem estado particularmente atenta, “não só pelo esforço desenvolvido no sentido de permitir a localização dos desaparecidos, mas sobretudo pela prevenção deste tipo de ocorrências, alertando para a problemática”.

Nesse sentido, a GNR alerta para que os familiares estejam cientes se os idosos ainda estão nas suas plenas capacidades físicas e psíquicas, para poderem sair de casa sozinhos, sem correrem o risco de se perderem e que devam procurar conhecer as rotinas dos idosos e ter informação sobre o local para onde estes pretendem ir quando saem de casa, para que, no caso da chegada tardar mais do que o previsto, possam por aí iniciar a sua procura.

Sempre que possível, os idosos devem fazer-se acompanhar de um telemóvel ligado, para que, em caso de necessidade, possam contactar ou serem contactados pelos seus familiares e, em caso de desaparecimento, serem mais facilmente localizados através de localização celular; e devem ter sempre na sua posse os contactos dos seus familiares, para que, em caso de desorientação, outras pessoas possam entrar em contacto com os mesmos.

Notícia rectificada às 18h39.

Texto: ALVORADA
Fotografia: Direitos Reservados (arquivo)