Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

DIÁSPORA-COVID-19: testemunho de Nellie Dinis, de Ribamar, residente no Canadá

nelliedinis

Como está a viver a Diáspora da Lourinhã este novo tempo, em que o centro das atenções é a pandemia da Covid-19? O ALVORADA iniciou a partilha de testemunhos de vida dos emigrantes lourinhanenses que se encontram espalhados pelos quatro cantos do mundo.

Neste tempo difícil que todos atravessamos, com uma pandemia que reduz ao máximo o contacto entre todos, queremos desta forma manter bem vivo o que nos une. Queremos contribuir para que quem esteja longe, fique mais perto de nós, na Lourinhã.

Partilhe e, caso tenha algum familiar e amigo que queira que o contactemos, para aqui deixar o seu testemunho, envie-nos mensagem pelo nosso Facebook ou para o endereço electrónico Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

Fique em segurança. Cuide de si e dos outros!

Este 48º testemunho é de Nellie Dinis, mais conhecida por Nelinha, de Ribamar e residente em Toronto, no Canadá. Emigrante desde Outubro de 1977, tem 60 anos e é gerente de uma agência de emprego para tecnologias da informação.

Eu tenho tido muita sorte porque normalmente já trabalho em casa. No entanto, como tenho uma casa de campo, mudei para essa casa por uns tempos, onde já estou há mais de dois meses com o meu marido. Quanto aos meus filhos, um tem trabalhado em casa e o outro começou a trabalhar a 4 de Maio, pois na construção civil não se pode trabalhar em casa, claro.

Para mim esta situação não me afectou muito porque eu gosto muito do campo e posso trabalhar daqui. Também trouxe comigo os meus gatos. A 9 de Maio algumas lojas já abriram, especialmente lojas de materiais de construção. Temos que manter a distância e há sempre fila na rua porque só uma certa quantidade de pessoas pode entrar, o que depende do tamanho do estabelecimento. Os carros de compras são desinfectados constantemente e usamos luvas. Podemos frequentar os jardins e parques de lazer mas mantendo a distância de segurança. Não podemos usar os baloiços, escorregas etc. Esses equipamentos estão selados com fita amarela e seremos multados se não respeitarmos as regras.

Manter distância em todo o lado é a lei. Tanto o nosso Governo provincial como o federal têm sido impecáveis nas medidas implementadas. A feira anual em Agosto foi cancelada, assim como outros festivais de Verão, concertos, etc. A nossa cidade de Toronto tem muita diversidade de pessoas, sendo que a maior parte é unida. Temos muitas instituições que ajudam os que estão com mais dificuldades.

Muitas pessoas estão a receber ajudas, como por exemplo, pagamentos de rendas e habitação, carro, e outras despesas. As escolas continuam fechadas e os alunos estão a ter aulas online.

Estamos à espera de novas leis para a semana que vem, dependendo para tal a evolução do vírus. De momento 1.527 pessoas morreram de Covid-19, mas tinham outras complicações de saúde à mistura, e são essas perdas de vida que aconteceram mais nos centros para idosos. A população do Ontário é de 14.57 milhões de pessoas. O estado de emergência está previsto até 2 de Junho.

Gostava de pedir à minha família, amigos e a toda a gente que pratiquem e respeitem a distância, especialmente com pessoas que têm o sistema de defesa fraco e que tomam medicamentos para outros problemas de saúde. Sugiro que se alimentem de forma saudável. As nossas viagens a Portugal já foram canceladas pela companhia de aviação e só Deus sabe quando vamos poder viajar outra vez. Nestas situações a tecnologia é muito vantajosa porque podemos ver e contactar os nossos familiares e amigos. Temos que ter fé e esperança que tudo vai ficar melhor. Fiquem bem e saudáveis.