Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

DIÁSPORA-COVID-19: testemunho de Rui Clemente, do lugar das Matas, que reside em França

Franca Rui Clemente

Como está a viver a Diáspora da Lourinhã este novo tempo, em que o centro das atenções é a pandemia da Covid-19? O ALVORADA iniciou a partilha de testemunhos de vida dos emigrantes lourinhanenses que se encontram espalhados pelos quatro cantos do mundo.

Neste tempo difícil que todos atravessamos, com uma pandemia que reduz ao máximo o contacto entre todos, queremos desta forma manter bem vivo o que nos une. Queremos contribuir para que quem esteja longe, fique mais perto de nós, na Lourinhã.

Partilhe e, caso tenha algum familiar e amigo que queira que o contactemos, para aqui deixar o seu testemunho, envie-nos mensagem pelo nosso Facebook ou para o endereço electrónico Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

Fique em segurança. Cuide de si e dos outros!

Este décimo testemunho é de Rui Clemente, do Lugar das Matas, que reside nos arredores de Paris, em França:

Olá direcção do jornal Alvorada - Lourinhã!

Eu, Rui José Henriques Clemente, do Lugar de Matas -Lourinhã, assim como minha esposa e filho, somos residentes em França, em Soisy-Sous-Montmorency, Paris, encontramo-nos confinados obrigatoriamente devido ao grave problema da existência e presença do recente vírus Covid-19. Não é fácil para ninguém pois enfrentamos uma situação inesperada.

Estamos em casa desde as 12h00 do dia 17 de Março, limitados a poucas saídas justificadas, como por exemplo, irmos à farmácia, supermercado, sair com o cão por poucos metros de distância de casa ou em socorro de algum membro de família. Tudo resto está praticamente proibido.

Temos a nossa filha Magali e o nosso genro Pedro, com o netinho Romeo, que habitam apenas a 2,5 km de distância de nossa casa e não nos podemos ver porque é expressamente proibido.

Está previsto que este regime de quarentena dure 45 dias mas, sinceramente, tenho dúvidas que seja o suficiente. Não é fácil mas com calma e descontração conseguiremos ultrapassar esta situação.

Por favor: fiquem em casa, não transitem nem transportem ninguém. Salvem a raça humana!

A Família Clemente