Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

DIÁSPORA-COVID-19: testemunho de Isabel Gomes, de Ribamar, que reside na Holanda

Roterdao Isabel Gomes

Como está a viver a Diáspora da Lourinhã este novo tempo, em que o centro das atenções é a pandemia da Covid-19? O ALVORADA iniciou a partilha de testemunhos de vida dos emigrantes lourinhanenses que se encontram espalhados pelos quatro cantos do mundo.

Neste tempo difícil que todos atravessamos, com uma pandemia que reduz ao máximo o contacto entre todos, queremos desta forma manter bem vivo o que nos une. Queremos contribuir para que quem esteja longe, fique mais perto de nós, na Lourinhã.

Partilhe e, caso tenha algum familiar e amigo que queira que o contactemos, para aqui deixar o seu testemunho, envie-nos mensagem pelo nosso Facebook ou para o endereço electrónico Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

Fique em segurança. Cuide de si e dos outros!

Este sétimo testemunho é de Isabel Gomes, de Ribamar, que reside com os dois filhos em Roterdão, na Holanda:

Aqui na Holanda já existem 8603 casos e 546 mortes causados pela Covid-19. As autoridades esperam uma subida significativa dos números este fim-de-semana. A cidade de Roterdão, onde vivo, também já tem bastantes casos. As escolas, cafés e restaurantes estão fechados. Há supermercados sem produtos essenciais. Esperam-se novas medidas do Governo, na segunda ou terça, para conter a pandemia. O governo não faz nada e continua tudo na normalidade. O país vai chegar aos números de Itália e Espanha.

A comunidade portuguesa está bastante apreensiva. Já há bastante gente em casa e a nossa comunicação é feita através das redes sociais. Quem tem de ir trabalhar, como eu, anda sempre com o ‘coração nas mãos’. Usamos luvas e máscaras e mantemos a distância de dois metros, uns dos outros. Em Portugal acho que o Governo tomou as medidas necessárias e os portugueses estão a cumprir, pelo menos é o que nos chega da comunicação social.

É triste a realidade que estamos a passar. Só todos juntos poderemos ajudar o mundo!