Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

DIÁSPORA - COVID-19: testemunho de Telmo Florêncio, da Abelheira, que reside em França

Telmo Florencio Franca 1

Como está a viver a Diáspora da Lourinhã este novo tempo, em que o centro das atenções é a pandemia do Covid-19? O ALVORADA iniciou este sábado a partilha de testemunhos de vida dos emigrantes lourinhanenses que se encontram espalhados pelos quatro cantos do mundo.

Neste tempo difícil que todos atravessamos, com uma pandemia que reduz ao máximo o contacto entre todos, queremos desta forma manter bem vivo o que nos une. Queremos contribuir para que quem esteja longe, fique mais perto de nós, na Lourinhã.

Partilhe e, caso tenha algum familiar e amigo que queira que o contactemos, para aqui deixar o seu testemunho, envie-nos mensagem pelo nosso Facebook ou para o endereço electrónico Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

Fique em segurança. Cuide de si e dos outros!

Este quinto testemunho é de Telmo Florêncio, da Abelheira, residente Vesoul, em França:

Olá! Sou o Telmo Florêncio, da Abelheira e estou a viver em Vesoul, França, desde 2005. Casei com a Sandrine, de Mangualde, e temos uma filha de 14 anos, um filho de 8 e outra menina de 7 anos.

Onde vivemos há muitos casos de Covid-19... Estamos perto de Mulhouse. O confinamento está a ser difícil, mas, graças a Deus, temos uma casa com bastante terreno para podermos sair à rua e brincar, esquecendo assim um pouco o que se está a passar neste momento difícil.

Brevemente, o meu sobrinho festeja o seu aniversário e eu, no dia 27 deste mês. Moramos a cerca de um quilómetro, uns dos outros, e não nos podemos ver para festejarmos juntos em família. A minha mãe está também a um quilómetro assim como o meu irmão e a minha irmã também por perto e não nos podemos visitar. É realmente muito triste mas tem de ser para vencermos todos unidos o Covid-19. Já estamos fechados há uma semana e ainda vai durar muito mais tempo... não sabemos quanto.

Acredito que, com fé, todos vamos ficar bem e mais fortes. Beijos de França para a minha família e amigos. Tenham cuidado! Cuidem-se!... Abraço!