Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Jornada da Juventude pode mostrar papel da Igreja em prol de sociedade mais justa segundo Patriarcado de Lisboa

JMJ em Lisboa

A Jornada Mundial a Juventude - Lisboa 2023 (JMJ2023) é uma oportunidade para a Igreja “se apresentar ao mundo como parceira da construção de uma sociedade mais justa e fraterna, onde todos tenham lugar e oportunidades”, considera o Patriarcado de Lisboa.

Na introdução ao programa pastoral do Patriarcado de Lisboa para o triénio 2021/2023, que culminará com a realização da JMJ2023 nos terrenos ao norte do Parque das Nações, nos concelhos de Lisboa e Loures, é defendido que a Jornada - para a qual são esperadas centenas de milhares de jovens de todo o mundo - “é em si mesma um acontecimento evangelizador, não só pelas marcas que traz à cidade, mas também pelos dinamismos evangelizadores que pode introduzir nas práticas pastorais”.

“O anúncio da realização da JMJ em Lisboa trouxe um rasto de luz e de esperança para a Igreja que caminha em Portugal. (…) Será certamente uma experiência única para a Igreja e para toda a sociedade, envolvendo a todos”, acrescenta o documento, que contém também uma mensagem do Cardeal-Patriarca, D. Manuel Clemente, que está convicto de que o acontecimento trará “um grande fruto”.

“Refiro-me ao rejuvenescimento eclesial que proporciona uma JMJ, quer pelos destinatários, quer pela orientação do que fizermos no sentido de revivermos com entusiasmo a constante juventude que Cristo oferece à sua Igreja”, escreveu o Cardeal Patriarca na mensagem inscrita no programa pastoral do Patriarcado de Lisboa e que hoje foi colocado à venda em versão impressa.

Entre os objectivos que a Igreja em Lisboa vai tentar alcançar até 2023 estão o início de processos de renovação da Igreja, com especial atenção à realidade juvenil, a promoção da relação com a sociedade civil no sentido de envolver todos, crentes e não-crentes, na preparação da Jornada, a criação de novos grupos de jovens nas paróquias, a promoção do acolhimento aos jovens participantes e voluntários da JMJ junto das famílias e oferecer-lhes um itinerário de crescimento na fé e a promoção de uma maior participação e responsabilização dos jovens na vida da Igreja e na pastoral juvenil.

A formação de pessoas “capazes de acompanhar os jovens que lhes são confiados, caminhando ao seu lado” está também inscrita nas metas a alcançar no Patriarcado, que propõe para a sua concretização a criação de um observatório da realidade juvenil e a realização de fóruns de jovens.

A utilização do ambiente digital “como espaço de evangelização e de partilha da fé” é outra das apostas, a par da dinamização de iniciativas “onde a busca, a convocação e o chamamento sejam capazes de atrair novos jovens”, valorizando as expressões artísticas, como o teatro, a pintura, e a música ou a prática desportiva.

'Maria levantou-se e partiu apressadamente' é o tema da JMJ2022, que terá na zona ribeirinha do Tejo, a norte do Parque das Nações, o local de realização. A Jornada Mundial da Juventude é o maior evento organizado pela Igreja Católica, tendo o anúncio da escolha de Lisboa para receber esta edição sido feito em 27 de Janeiro de 2019, na Cidade do Panamá. Inicialmente prevista para Agosto de 2022, a pandemia de Covid-19 determinou o adiamento da JMJ um ano.

Portugal será o segundo país lusófono, depois do Brasil, a acolher uma Jornada Mundial da Juventude, criada em 1985 pelo Papa João Paulo II (1920-2005). O Papa Francisco é esperado em Portugal no Verão de 2023, para o encerramento da JMJ.

Texto: ALVORADA com agência Lusa