Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

10 Mitos e Factos sobre a Política de Coesão da União Europeia (UE)

1 - A POLÍTICA DE COESÃO SÓ AJUDA REGIÕES POBRES

O financiamento da UE para o desenvolvimento regional e social é uma fonte importante de verbas para projetos de investimentos fundamentais.

A UE financia até 80 % do investimento público em alguns países da UE cujos recursos são, de outra forma, limitados. No entanto, a despesa regional da UE não ajuda apenas as regiões mais pobres. Investe em todas as regiões e países da UE, estimulando a economia da UE no seu conjunto.

A política de coesão é uma política vantajosa para todas as regiões e países da UE. Todas as regiões da UE, e não só as mais pobres, colhem grandes benefícios desta política.

Independentemente do país onde reside, olhe atentamente à sua volta e verá decerto uma escola, uma ponte, um hospital, um porto ou qualquer outro projeto que beneficiou de financiamento da UE e que marcou a diferença na sua vida. Trata-se apenas de uma amostra do que a política de coesão pode fazer. Os seus efeitos são incontáveis e estão sempre a aumentar.

2 - A POLÍTICA DE COESÃO NÃO TRAZ VALOR ACRESCENTADO

Uma avaliação realizada por peritos independentes concluiu que os investimentos da política de coesão no período de 2007-2013 conseguiram resultados significativos e reais. Estes incluem a criação de postos de trabalho, o lançamento de novos produtos no mercado, um impacto positivo na redução das disparidades regionais e o aumento do produto interno bruto (PIB).

Por exemplo, a avaliação demonstrou que o retorno sobre o investimento até 2023 será de 2,74 euros por cada euro investido entre 2007 e 2013, o que representa um retorno de 274 %. Daqui se depreende que a política de coesão será responsável por quase 1 bilião de euros de PIB adicional até 2023. O efeito é semelhante, em termos de escala, à totalidade dos orçamentos da UE para 2007-2013 (975,8 mil milhões de euros) e 2014-2020 (908,4 mil milhões de euros).

Os valores falam por si. Os investimentos da política de coesão criaram mais de 1 200 000 postos de trabalho até ao final de 2015. Foram apoiados quase 120 000 projetos de investigação e inovação. Através dos programas de 2007-2013, 121 400 empresas em fase de arranque receberam apoio financeiro, bem como um número estimado de 400 000 pequenas e médias empresas.

3 - AS VERBAS DA UE SÃO UTILIZADAS PARA FINANCIAR PROJETOS INÚTEIS

As autoridades nacionais e regionais dos países da UE selecionam os projetos que consideram que melhor satisfazem as suas necessidades, em conformidade com as estratégias e prioridades acordadas com a Comissão.

Para o período de 2014-2020, a UE atribuiu mais de 460 mil milhões de euros para a despesa regional. Esta iniciativa deverá ter por resultados:

Ajuda a mais de 800 000 empresas;
Melhores cuidados de saúde para 44 milhões de europeus;
Prevenção de inundações e incêndios para 27 milhões de pessoas;
Quase 17 milhões de pessoas com ligação a estações de tratamento de águas residuais;
Acesso à banda larga para mais 14 milhões de famílias;
Mais de 420 000 novos postos de trabalho;
Formação para 3,7 milhões de europeus;
Escolas novas e modernas e infraestruturas de acolhimento de crianças para 6,7 milhões de crianças.

Mais informações:

 @ https://ec.europa.eu/regional_policy/pt/policy/what/investment-policy/

@ https://www.facebook.com/EUinmyregion

@ https://www.adcoesao.pt/content/territorializacao-dos-feei-0


PARCERIA JORNAL ALVORADA/CENTRO DE INFORMAÇÃO EUROPE DIRECT OESTE E LEZÍRIA DO TEJO