Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Aviso do programa de investimentos para agricultura de precisão abre esta sexta-feira

governo de portugal

O aviso do programa de financiamento dos investimentos na agricultura de precisão eficiência no uso dos recursos, com 24,5 milhões de euros, vai abrir esta sexta-feira, anunciou hoje a ministra da Agricultura e a Alimentação.

Maria do Céu Antunes, que foi hoje ouvida no Parlamento sobre os efeitos da seca e do aumento dos custos de produção no sector agrícola, destacou alguns dos investimentos que visam a promoção do uso eficiente da água. Neste contexto destacou o aviso que abrirá esta sexta-feira no PDR2020 (Programa de Desenvolvimento Rural), com 24,5 milhões de euros “para financiar investimentos na Agricultura de Precisão e na Eficiência no uso de recursos”. Em causa estão projectos na área da agricultura de precisão e inteligente e instalação de zonas de preparação e tratamento de resíduos de produtos fitofarmacêuticos.

Em resposta aos deputados, a ministra da Agricultura adiantou ainda que das 44 albufeiras monitorizadas e que servem para fins agrícolas, “37 assumem a campanha de rega até 2022”, havendo sete que “têm limitações”, nomeadamente Bravura, Santa Clara, Campilhas, Fonte Serne, Monte da Rocha, Arcossó e Vale de Madeiro. “Das 44 albufeiras todas tem neste momento planos e contingência aprovados e a funcionar”, acrescentou a governante.

A audição a Maria do Céu Antunes resulta de requerimentos do Chega e do PSD sobre, respectivamente, os efeitos da seca extrema no sector agrícola e sobre o aumento dos custos de produção.

Seca: Governo acompanha situação para avaliar necessidade de novas medidas

A ministra da Agricultura disse hoje que o Governo está a acompanhar a situação causada pela seca e aumento dos custos de produção, sendo com base neste acompanhamento que avalia a necessidade de novas medidas ou o reforço das existentes.

“O Governo está bem consciente que esta situação que vivemos se vai prolongar e que os efeitos vão ser eventualmente até mais duros. Por isso mesmo temos de fazer o acompanhamento das medidas e com a base disso podermos propor medidas novas ou complementar ou prolongar para podermos minimizar os efeitos”, disse Maria do Céu Antunes.

A ministra da Agricultura e da Alimentação esteve hoje a ser ouvida na Comissão de Agricultura e Pescas na sequência de requerimentos do Chega e do PSD sobre, respetivamente, os efeitos da seca extrema no setor agrícola e sobre o aumento dos custos de produção, tendo sido questionada por deputados de vários partidos sobre o reforço de medidas de apoio aos agricultores.

Também em resposta aos deputados, indicou que da área ardida nos incêndios, até ao dia 20 de Julho, e que ronda os 58 mil hectares, 49% corresponde a floresta, 38% a mato e 13% a agricultura. Números que, referiu, mostram que a agricultura “tem um papel determinante no combate aos incêndios”.

Maria do Céu Antunes disse ainda que o seu Ministério e o da Administração Interna estão a estudar a atribuição, em separado ou conjuntamente, de um apoio pecuniário ao sector pecuário (pequenos ruminantes e animais alienantes), afirmando que o objectivo é fazê-lo “o mais rápido possível”.

Sobre a execução do PDR2020 (Programa de Desenvolvimento Rural), outro dos temas que esteve na origem de várias questões, e cuja dotação inicial é de 4.343 milhões de euros, disse que taxa de execução é de 91%, com “3.925 milhões e euros executados e pagos”.

Texto: ALVORADA com agência Lusa