Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Plano estratégico nacional da PAC está praticamente fechado revela ministra da Agricultura

ministra da agricultura em bruxelas 18062022

A ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, disse hoje, em Bruxelas, que estão praticamente fechadas as negociações com a Comissão Europeia sobre o plano estratégico nacional, no âmbito da nova Política Agrícola Comum (PAC).

“Neste momento estamos em condições de podermos dar o nosso plano estratégico como fechado e garantir a estabilidade aos nossos agricultores, que é essencial”, disse.

“Há ainda duas questões em aberto, mas o comissário [europeu da Agricultura] comprometeu-se a tentar criar connosco condições para que o plano estratégico de Portugal possa estar verdadeiramente no primeiro pacote de planos a ser aprovado”, disse a ministra, que debateu o tema na segunda-feira com o comissário, à margem do Conselho de Ministros da União Europeia (UE), no Luxemburgo.

As negociações do plano estratégico português da PAC “estão a correr muito bem” com um “trabalho técnico muito intenso a ser feito”, salientou a ministra, que falava à margem da 8.ª edição da festa ‘O Melhor de Portugal’, em Bruxelas.

Maria do Céu Antunes defendeu que Portugal tem “um bom plano estratégico, que é ambicioso” e requer, quer da parte do Governo, quer dos Agricultores, “um esforço grande para fazer face a um novo modelo”.

A ministra sublinhou ainda que o novo modelo da PAC aprovado, na presidência portuguesa do Conselho da UE, em Junho de 2021, “foi pensado num contexto diferente do que hoje estamos a viver”.

O Regulamento dos Planos Estratégicos da PAC estabelece que cada Estado-membro apresente um plano estratégico único incluindo as medidas de apoio para se alcançarem os objetivos específicos da UE, cabendo à Comissão Europeia verificar esses planos e proceder à sua aprovação, para aplicação a partir de 1 de Janeiro de 2023. Entre os dez objectivos incluem-se a garantia de um rendimento justo aos agricultores, apoiar a renovação geracional, promover zonas rurais dinâmicas e aumentar a competitividade.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: MA