Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Actualização das tarifas dos táxis entrou hoje em vigor

taxi 2

As tarifas dos táxis vão subir em média mais de 8% a partir de hoje, segundo a convenção assinada entre a Direção-Geral das Atividades Económicas, a ANTRAL e a Federação Portuguesa do Táxi e já homologada pelo Governo.

A informação de que a secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques, homologou a convenção que procede à atualização das tarifas para a prestação do serviço de transporte de passageiros em táxi foi anunciada em 18 de Maio pelo gabinete do ministro da Economia e do Mar. Esta convenção foi celebrada no dia 13 entre a Direcção-Geral das Atividades Económicas, a ANTRAL - Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros e a Federação Portuguesa do Táxi (FPT), “depois de um processo intenso de negociação e de auscultação” junto do Instituto da Mobilidade e dos Transportes e das associações de consumidores. Assim, “foi acomodado o aumento do Índice de Preços no Consumidor registado entre Janeiro de 2012 e Janeiro de 2022, traduzido num aumento médio global das tarifas de 8,05%”, segundo a tutela.

O Governo sublinha ainda que desde Janeiro de 2013 não havia actualização das tarifas do transporte em táxi. A programação do novo tarifário, a verificação metrológica e a selagem dos taxímetros deverão ser efectuadas até 31 de Julho.

O presidente da FPT, Carlos Ramos, considera que o aumento das tarifas é insuficiente, mas ajuda a mitigar os prejuízos registados no setor nos últimos anos. “Nós negociámos de facto uma tabela para o ano de 2022 que tem em termos médios para o conjunto no sector uma actualização de 8,05%. Naturalmente não é o que esperávamos porque há mais de 10 anos que a convenção não é actualizada, mas também temos a noção de que não podíamos ir mais longe”, disse à Lusa.

Carlos Ramos explicou que a intenção ao negociar com o Governo foi sempre na perspectiva de se fazer uma actualização para mitigar prejuízos acumulados e que garantisse que os passageiros continuam a viajar nos táxis. “Foi o que nos levou a assinar esta actualização tarifária. Gostávamos de ir mais longe e o Governo não permitiu que o fosse. Queríamos aproveitar para mexer na estrutura tarifária, mas mantêm-se como está. Não há mexidas no valor da bandeirada, apenas na metragem, mas isto é pouco”, sublinhou.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Direitos Reservados