Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Crise/Energia: Governo sobe para 30 cêntimos apoio por litro a táxis e autocarros

governo de portugal

O Governo decidiu hoje prolongar por três meses o apoio dado a táxis e autocarros, para mitigar o impacto da subida do preço dos combustíveis, pagando agora 30 cêntimos por litro. Este mecanismo, que terminava no final de Março, previa o pagamento de 10 cêntimos por litro.

“Decidimos estender o mecanismo por mais três meses, pagando agora 30 cêntimos por litro de combustível a táxis e autocarros. Este pagamento é concretizado através do Fundo Ambiental”, afirmou o ministro do Ambiente e da Acção Climática, João Pedro Matos Fernandes, em conferência de imprensa, em Lisboa.

Na próxima semana, o gasóleo deverá registar um agravamento de cerca de 14 cêntimos por litro, enquanto a gasolina ficará oito cêntimos mais cara, naquela que será a 10.ª subida consecutiva de ambos os produtos. Esta subida de preços tem levado aos postos de combustíveis muitos automobilistas desde ontem, provocando grandes filas e tempos de espera superiores ao normal.

Taxa de carbono vai continuar congelada até 30 de Junho

O Governo anunciou também que a actualização da taxa de carbono nos combustíveis, que o Governo tinha congelado até final de Março, vai ser novamente adiada até ao final de Junho.

A medida já tinha sido sinalizada pelo secretário de Estado adjunto e da Energia, João Galamba, durante a participação ontem de manhã numa conferência promovida pelo jornal ‘online’ ECO, sobre ‘A guerra na Europa e o choque energético’.

Em Dezembro, o Governo publicou em Diário da República a portaria que suspendeu a actualização da taxa de carbono nos combustíveis até 31 de Março deste ano, esclarecendo que, sem esta medida, os combustíveis ficariam mais caros cinco cêntimos por litro logo no início do ano.

Texto: ALVORADA com agência Lusa