Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Estratégia do Prado ao Prato: UE aumenta disponibilidade de pesticidas biológicos

Comissao Europeia

No quadro da transição da União Europeia para sistemas alimentares sustentáveis e da redução da utilização de pesticidas químicos ao abrigo da Estratégia do Prado ao Prato, a UE deu hoje mais um passo importante para garantir o acesso a produtos fitofarmacêuticos biológicos para utilização nas explorações agrícolas de toda a União Europeia.

Segundo o anúncio feito hoje em Bruxelas, os Estados-Membros aprovaram novas regras para facilitar a autorização de microrganismos para utilização como substâncias activas nos produtos fitofarmacêuticos. Estas novas regras proporcionarão aos agricultores da UE opções adicionais para substituir os produtos fitofarmacêuticos químicos.

As novas regras colocarão as propriedades biológicas e ecológicas de cada microrganismo no centro da avaliação científica dos riscos, que deve demonstrar segurança antes de os microrganismos poderem ser aprovados como substâncias activas em produtos fitofarmacêuticos.

Comissão comprometida com a protecção dos polinizadores contra pesticidas nocivos

Ainda no âmbito dos seus compromissos no âmbito da Estratégia do Prado ao Prato e da Estratégia de Biodiversidade, a Comissão reitera o seu pedido aos Estados-Membros para que apoiem a sua proposta de limitar a utilização do pesticida ‘sulfoxaflor’ às estufas permanentes, a fim de proteger os polinizadores.

No último ano, a Comissão Europeia tem vindo a debater esta restrição de utilização com os Estados-Membros, tendo em conta o potencial impacto adverso que a substância activa tem nas abelhas. “Na ausência da maioria qualificada necessária, a Comissão decidiu remeter a proposta ao Comité de Recurso, a fim de honrar o seu compromisso tendo em vista a protecção dos insectos polinizadores”, refere em comunicado enviado ao ALVORADA.

Texto: ALVORADA
Fotografia: Paulo Ribeiro/ALVORADA (arquivo)