Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Turismo Centro de Portugal assinou Carta de Compromisso com a Sustentabilidade

TCP Carta Sustentavel 1

A Turismo Centro de Portugal e o Instituto de Turismo Responsável, entidade que representa os certificados internacionais ‘Biosphere Responsible Tourism, assinaram hoje a Carta de Compromisso com a Sustentabilidade, numa cerimónia que decorreu em Serrazes, no concelho de São Pedro do Sul.

“A assinatura deste documento representa o início do projecto ‘Centro Sustentável’, que visa reforçar as boas práticas de Sustentabilidade Turística na região e afirmar o Centro de Portugal como destino turístico sustentável como um todo. Financiado pela Linha de Apoio à Sustentabilidade do Turismo de Portugal, este é o maior projecto de sustentabilidade multidestino à escala nacional e internacional”, refere a organização responsável pela promoção turística de 100 concelhos do centro do país, entre os quais os 12 da região Oeste

O processo será desenvolvido seguindo o Referencial ‘Biosphere Destination', que define uma orientação alinhada com as estratégias de desenvolvimento globais, europeias, nacionais e regionais em vigor, como o programa de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, o ‘Green Deal’ e a Estratégia para o Turismo 2027. “A Turismo do Centro irá capacitar e aconselhar as empresas e instituições, públicas e privadas, da região a atingir os objectivos da sustentabilidade, através de um caderno de encargos que obedece a critérios rigorosos”, destaca ainda a organização presidida por Pedro Machado.

A sessão de assinatura contou com a presença de Pedro Machado, presidente da Turismo Centro de Portugal, Patricio Azcárate, director-executivo do Instituto de Turismo Responsável (numa declaração vídeo), Pedro Mouro, vice-presidente da Câmara Municipal de São Pedro do Sul, e Teresa Ferreira, directora do Departamento de Desenvolvimento de Recursos do Turismo de Portugal, entre outras personalidades.

Na sua intervenção, Patrizio Azcárate destacou o trabalho do Instituto de Turismo Responsável. “O Turismo é uma actividade holística, que abarca muitos sectores. Neste instituto identificamos e definimos o que deve ser feito, e como deve ser feito, para o turismo atingir as metas de sustentabilidade. As certificações Biosphere comprovam o compromisso de que um destino está de acordo com as metas da sustentabilidade, algo que os turistas procuram. O Centro de Portugal, com os seus 100 municípios, é um grande desafio e será pioneiro a nível internacional”, disse.

Teresa Ferreira elogiou a iniciativa da Turismo Centro de Portugal, que considerou “um factor muito relevante de confirmação de que o trabalho de tornarmos o nosso país cada vez mais sustentável é um caminho incontornável, até neste momento de recuperação da nossa actividade. E é tão mais importante porque se traduz em alterarmos comportamentos e o nosso posicionamento. Há aqui um caminho muito desafiante e compete às entidades públicas ajudarem e disponibilizarem as ferramentas para podermos evoluir neste sentido”, frisou.

Pedro Machado, no final da sessão, começou por dizer que “este protocolo é uma assunção de responsabilidades”. Lembrando que há hoje cinco grandes tendências com grande impacto nas alterações da atividade turística - as alterações demográficas e sociais, com os viajantes a cada vez mais segmentados e com motivações específicas; a rápida urbanização, com a consequente descarbonização e qualificação do espaço público; os avanços tecnológicos; as alterações do poder económico; e as alterações climáticas e escassez de recursos - o presidente da Turismo Centro de Portugal sublinhou que “este protocolo vislumbra sermos capazes de estar em linha com estas alterações”. “Hoje, mais de metade dos novos viajantes preferem destinos sustentáveis. Num inquérito recente a nível mundial, 51% dos turistas responderam que trocariam o seu destino habitual por um mais sustentável e 70% disseram pretender reservar alojamento ecológico. É uma alteração profunda nas escolhas e é isso que estamos aqui a assinar: estamos a olhar para o futuro”, acrescentou Pedro Machado.

Texto: ALVORADA com TCP
Fotografia: TCP