Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Ténis: Gastão Elias vai jogar a meia-final do ‘challenger’ de Oeiras com Nuno Borges

Gastao Elias 28052021

O tenista lourinhanense Gastão Elias vai defrontar o compatriota Nuno Borges nas meias-finais do ‘challenger’ 4 de Oeiras, torneio de categoria 50 do ATP Challenger Tour, e lutar por uma vaga final de domingo no Complexo Desportivo no Jamor.

O jogador natural da Maia, nº 275 do ‘ranking’ ATP, eliminou hoje nos quartos-de-final o romeno Filip Cristian Jianu, 349.º colocado na hierarquia mundial, em dois ‘sets’, pelos parciais de 6-4 e 6-4, em uma hora e 25 minutos. Depois de ter perdido apenas 15 pontos nos seus jogos de serviço e de ter anulado cinco pontos de ‘break’ ao longo de todo o desafio, o jovem tenista, de 24 anos, garantiu a qualificação para as meias-finais de um torneio ‘challenger’, pela segunda vez, após a presença na final no Oeiras Open 2.

Ao contrário do tenista nortelho, Gastão Elias (292. º ATP) não entrou tão bem no centralito do Jamor e, ao lidar com algumas dificuldades no seu serviço, cedeu ante o argentino Camilo Ugo Carabellio (310.º ATP) o primeiro parcial no 'tie-break', antes de conquistar a vitória em três ‘sets’, por 6-7 (0-7), 6-3 e 6-0. Após quatro quebras de serviço mútuas no parcial inaugural, que acabou por sorrir ao adversário no desempate, o tenista da Lourinhã conseguiu dar a volta ao encontro e carimbar o acesso às meias-finais, pela terceira vez, no Jamor, onde integrou o lote de quatro finalistas do Oeiras Open 1 e no Oeiras Open 2.

Na próxima fase da prova, Gastão Elias, de 30 anos, vai medir forças com Nuno Borges, naquele que será o quinto confronto entre ambos, garantindo, assim, a presença de um jogador português na final do Oeiras Open 4, o último evento internacional masculino organizado pela Federação Portuguesa de Ténis no Complexo Desportivo do Jamor.

(349.º), vencendo por 6-4 e 6-4 com uma exibição apoiada em duas quebras de serviço e cinco pontos de break salvos.

Segundo Gastão Elias, “não considero que tenha feito um grande primeiro ‘set’. Tive algumas dificuldades em fazer a bola andar, senti que as condições estavam lentas e tive algumas dificuldades nesse capítulo. Entretanto acalmei-me e comecei a jogar mais relaxado e as coisas acabaram por fluir. Um dos aspectos positivos é a parte física, porque quando um jogo é muito intenso fisicamente eu tenho sempre tendência a achar que o outro está pior do que e isso foi importante”. “No geral foi muito positivo ter conseguido dar a volta depois de uma facada mental no primeiro set e depois de tanta luta. Às vezes há tendência para relaxar depois de perder um set, mas tive mérito ao entrar no segundo set com uma boa atitude e intensidade. Isso fez a diferença”, analisou o lourinhanense de 30 anos.

O duelo deste sábado, marcado para não antes das 12h55, será o quinto em torneios do circuito internacional entre Borges e Elias e o segundo em 2021. Até agora, o maiato levou a melhor em três ocasiões incluindo as duas últimas, com o derradeiro triunfo a acontecer neste mesmo palco, o ‘court’ central do Jamor, e precisamente numas meias-finais, do Oeiras Open 2. “Gosto sempre de jogar contra o Gastão. Sendo em terra batida é mais desafiante ganhar-lhe e os jogos contra ele são sempre muito desgastantes física e mentalmente”, avisou Nuno Borges, que não espera ‘borlas’ do adversário: “Continuo a sentir-me muito alerta porque sei que ele não me vai oferecer nada e vou ter de ser eu a ganhar os pontos. Normalmente ele é muito constante e eu sinto que sou a variante. Tenho de estar sempre num bom registo para conseguir ganhar”.

Por sua vez, Gastão Elias voltou a partilhar que “a não ser que mude completamente a minha forma de jogar, continuo a achar que o jogo dele encaixa um pouco no meu. Há certas coisas que me causam algumas dificuldades, mas o ténis é assim e tens de lidar com essas coisas e tentar arranjar soluções. Já jogámos várias vezes, sei o que ele vai fazer e ele o que eu vou fazer, portanto a minha arma secreta será encontrar uma solução táctica diferente das outras vezes. Vai obviamente ser um jogo duríssimo, o Nuno está a jogar muito bem e com muita confiança, mas espero que a minha experiência também me ajude em alguma coisa e possa sair com a vitória”.

A outra vaga na final de singulares será discutida entre dois tenistas que nunca lutaram por um título no circuito 'Challenger’: Timofey Skatov, de 20 anos, e Holger Rune, de 18: o cazaque, nº 441 mundial, vem do ‘qualifying’ e esta sexta-feira superou o espanhol Nikolas Sanchez Izquierdo (que também começou a semana na fase preliminar) com os parciais de 7-6(4), 5-7 e 6-1. Já o dinamarquês, apesar da pouca experiência como profissional (enquanto júnior é o número 1 do ‘ranking’) chegou a Portugal como uma das ‘vedetas’ deste torneio e um dia depois de ter alcançado os primeiros quartos de final em torneios ‘Challenger’ (já o tinha feito ao mais alto nível, no circuito ATP) deu mais um passo em frente ao levar a melhor na batalha #NextGen ATP contra Carlos Gimeno Valero (287.º) por 6-2 e 6-4.

Texto: ALVORADA com agência Lusa e Gabinete de Imprensa do ATP Challenger 125 Oeiras Open
Fotografia: Sara Falcão/GIATPC125OO