21/11/2017 - 19:15
Primeira PáginaAssinaturasContactos
  Pesquisar Notícias
Notícias
Região
Sociedade
Economia/Gestão
Saúde
Cultura

Desporto
Segurança
Agricultura
Mulher
Opinião
Igreja

Agenda
Associações
Autarquias
Bibliografia
Classificados
Discografia
Directório
Links
Lista Telefónica
Necrologia



As últimas notícias de primeira página -> http://www.alvorada.pt/rss.php

As últimas notícias de primeira página -> http://www.alvorada.pt/rss.php



Cultura

Manuel Alegre apresentou obra na Lourinhã

Última alteração dia
2017-05-10 às 00:00:00


Imprimir NotíciaManuel Alegre apresentou obra na Lourinhã

O poeta Manuel Alegre foi um dos grandes destaques do primeiro dia do festival literário ‘Livros a Oeste’, onde apresentou a edição dos 50 anos de ‘O Canto e As Armas’, uma obra histórica e que marcou uma geração, numa plateia preenchida, no Auditório do Centro Cultural Dr. Afonso Rodrigues Pereira.


‘O Canto e As Armas’ é um livro que reúne inúmeros poemas de Manuel Alegre, escritos numa época marcante para a nossa sociedade e para o nosso país. Segundo a editora do autor, este é “o livro de uma geração mas que se prolongou no tempo enquanto voz de esperança numa pátria livre e de denúncia da opressão política da ditadura salazarista, da guerra colonial, da emigração e do exílio, a que muitos portugueses, como o próprio poeta, foram condenados”.

Este livro viu ainda alguns dos seus poemas serem musicados e cantados por Adriano Correia de Oliveira, que acabaria por dar o nome de ‘O Canto e As Armas’ a um dos seus álbuns, em 1969. E foi precisamente desta época que Manuel Alegre falou com todos os que estiveram presentes no auditório e que se mostraram interessados em ouvir o autor destes poemas.

Manuel Alegre deixou ainda claro que considera que a “palavra continua a ser uma arma nos dias de hoje”, tecendo algumas críticas à política internacional europeia e elogiando o Governo português pelas políticas que tem vindo a implementar e pelos resultados positivos alcançados.

No seguimento destas palavras, o poeta acabaria por ler aos presentes alguns poemas do seu último livro, ‘Bairro Ocidental’ (2015), onde reuniu algumas rimas bastante críticas das políticas dos últimos anos, tanto em Portugal como na Europa.

No final, com algumas questões dos presentes, Manuel Alegre divagou ainda entre histórias do pré e pós 25 de Abril e do seu exílio. A apresentação terminou com uma sessão de autógrafos bastante concorrida.




Voltar     Topo


CotoNet, Lda