Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

FRO/PS defende junto do Governo um plano de acção para investimentos no Centro Hospitalar do Oeste

FRO PS CI Saude e CHO

Consciente que a construção de um novo hospital para a região Oeste poderá demorar mais de 10 anos a ser uma realidade, a FRO - Federação Regional do Oeste do PS vai propor ao Governo a criação de um plano de acção que contemple vários investimentos, durante o próximo triénio, nas três unidades que constituem o CHO - Centro Hospitalar do Oeste. O anúncio foi feito em conferência de imprensa esta sexta-feira, ao fim do dia, na sede da FRO/PS, em Torres Vedras, depois de uma visita efectuada ao longo do dia aos hospitais de Caldas da Rainha, Peniche e Torres Vedras.

A proposta socialista vai seguir para a ministra das Saúde, Marta Temido. Vai ainda ser defendido pela FRO/PS que seja feita pelo Ministério da Saúde a transferência para o CHO, ao longo do triénio, dos 24 milhões de euros que estão em falta e que resultam da passagem recente deste centro hospitalar para Entidade Pública Empresarial.

Neste périplo, a delegação socialista foi acompanhada pelo conselho de administração do CHO presidido por Elsa Baião. Para além de Carlos Bernardes, presidente da FRO/PS e da Câmara Municipal de Torres Vedras, e de Ricardo Fernandes, presidente da Câmara Municipal do Bombarral, integraram a comitiva a deputada Margarida Marques e a líder da bancada socialista na Assembleia Municipal da Lourinhã, Selene Martinho, ambas candidatas ao Parlamento Europeu pelo PS, bem como Brian Silva, presidente do PS/Lourinhã.

Ricardo Fernandes destacou a unidade existente no seio da OesteCIM - Comunidade Intermunicipal do Oeste em torno da necessidade de se construir um novo hospital para a região, e Margarida Marques comprometeu-se a defender, no Parlamento Europeu, a inclusão de verbas para a saúde, no âmbito do novo Quadro Comunitário de Apoio 2021/2027, que possa permitir o cofinanciamento do novo hospital do Oeste, caso seja essa a vontade expressa do Governo Português.

Mais pormenores na próxima edição impressa do ALVORADA
Texto e fotografia: Paulo Ribeiro/ALVORADA